viagem-sem-voltaO país teve, esta semana, mais um feriado nacional: 2 de novembro, Dia de Finados. Apesar de sermos um país laico, eis que o Dia é comemorado pela Igreja Católica desde o século XI; mas não é um dia celebrado pelas pessoas de todas as religiões. A palavra “ finado” é um adjetivo que qualifica algo ou alguém que finou, que chegou ao fim, que está morto. Por esse motivo, o Dia de Finados também é conhecido como Dia dos Mortos.

Datas definidas pelas mais variadas razões, não poucas aleatórias e fruto de interesses comerciais ou promocionais, os “Dias” parecem existir para nos lembrar de algo que parece ser importante para, senão todos, muitos que os respeitam ou dele usufruem. Excetuam-se, por evidente, datas históricas.

Sempre mantive uma certa reserva sobre muitos desses dias e o desta semana não é exceção. Não há quem não tenha, durante sua permanência nesta Terra, perdido pessoas queridas que se foram para sempre. Muitas delas nos deixaram repentinamente, sem aviso prévio, causando sofrimento e dor pelo imprevisto; outras, marcas por presenciar o sofrimento e a dor daqueles tão queridos e próximos de nós.

A questão que me toca é: será que é necessário adotarmos uma data para lembrar daqueles que nos antecederam em sua passagem por aqui? Estou certo que não poucos mantem viva em suas lembranças e orações – durante todo o ano – a memória dos que lhes foram caros ao longo de suas vidas. Este me parece ser, sim, comportamento mais autêntico que o de uma “comemoração” anual, como é “celebrado” o Dia de Finados como se uma obrigação fosse.

Talvez a data possa ser útil para refletirmos, nos lembrarmos ou relembrarmos, a quem, em vida, devemos externar nossos sentimentos, sejam parentes ou simplesmente amigos. Conhecemos casos de pessoas que lamentam, tardiamente, terem perdido a oportunidade de conviver mais intensamente com pessoas queridas, mas que não estão mais entre nós. Pesar sem limites.

A vida é uma viagem sem volta, uma oportunidade única de desfrutarmos – junto àqueles que amamos e prezamos – momentos que possam permanecer para sempre na memória, durante e …depois. Sem data marcada.

(Este texto está protegido pela Lei nº 9.610/98)