“Este é um blog que acredita na magia da palavra escrita como elo de aproximação entre pessoas que comungam de um mesmo pensamento e fonte de oportunidades para reflexão de outras tantas que assim não pensam”.

Após alguns anos como colunista do JC Holambra e ter colocado o Ponderando na internet –- cunhei a frase acima para definir o espírito que me levou a escrever artigos e crônicas analisando e refletindo nosso viver ao longo dos tempos.

Não tive, nem tenho, como avaliar o resultado de meu propósito. Apenas a consciência de que não poderia me furtar à responsabilidade de contribuir para que possamos, todos, viver em harmonia e coexistir pacificamente apesar das divergências.  

Vivemos em um mundo globalmente conturbado por razões políticas, econômicas, éticas e sociais. Fronteiras e barreiras que salvaguardavam e respeitavam culturas e costumes vêm sendo demolidas. A desconfiança paira em todos os estratos das sociedades, seja por conflitos étnicos ou insegurança pessoal e familiar, diante da violência incontida por aqui e mundo afora.

A sobrevivência do planeta depende do bom senso de governos que dominam a tecnologia da energia nuclear bélica. Um resvalo em momento crítico e mergulharemos em hecatombe jamais vista.

O ser humano parece desconhecer a razão de sua existência. Inconsciente, persegue o poder e a riqueza como se sua saúde mental e física, bem como sua permanência por aqui fosse sem data para terminar e, ainda, lhe assegurasse qualidade de vida nesta que é efêmera por natureza.

Em detrimento da Saúde, Educação e Segurança, governos priorizam seus laços com a Economia –  maestrina das soluções para o bem-estar de seus povos. Parece não ser assim. A África, com países ricos em recursos minerais, padece com populações paupérrimas e governos autoritários ricos com contas na Suíça. Os Estados Unidos – maior potência mundial – escondem que apenas vinte por cento da população desfrutam de curso superior e tem bons empregos enquanto oitenta por cento vivem o setor de baixa renda. No Brasil as seis pessoas mais ricas concentram, juntas, a mesma riqueza que os 100 milhões mais pobres do país, ou seja, a metade da população brasileira.

A ONU prevê que dentro de 30 anos os terráqueos serão algo como 9 bilhões. O espaço físico a ser ocupado permanecerá o mesmo e os valores a serem respeitados para uma convivência pacífica, possivelmente distintos dos de hoje.

A miscigenação racial no mundo é crescente. Uma realidade sem volta com a Europa dando as cartas e o Oriente Médio se fazendo cada vez mais presente no Ocidente.

O modelo atual se exauriu. Vale refletir.