Do UOL: “A CBF já definiu a premiação a ser paga aos jogadores da seleção brasileira em caso de conquista do hexacampeonato mundial. Após acordo entre diretoria e comissão técnica dias antes da estreia, ficou resolvido que vencer a Copa do Mundo renderá US$ 500 mil (R$ 1,87 milhão) para cada um dos 23 convocados, totalizando um valor de R$ 43,1 milhões em premiação ao grupo de atletas pelo sonhado título. O técnico Tite tem direito a valor semelhante em caso de vitória em uma possível final.”

Será este o Brasil que deu certo?

Não me surpreendo, ao ouvir de pessoas próximas, que essa euforia brasileira em “clima de Copa do Mundo FIFA” – chega a ser, no mínimo, constrangedora para nós. Constrangedora porque enquanto a bola rola, o país parece se esquecer, ou apenas fazer de conta, que sua situação de estado dilapidado, que enfrenta conturbações na política, na economia e com um tecido social em farrapos, não existe.

Para os entusiastas daquele que já foi chamado de “esporte bretão”, a oportunidade de assistir a jogos todos os dias da semana, por um mês inteiro – com direito a VT´s para não perder nada – e direito a uma cervejinha sempre, é um verdadeiro ópio anestesiante.

Nada diferente de tomar um porre, viver momentos de profundo entusiasmo e passado o momento, voltar a realidade, sempre de ressaca.

Afinal, o evento comercial-bilionário onde todos ganham, até mesmo os que perdem em campo – regiamente remunerados por patrocinadores, investidores, FIFA, emissoras de televisão – permite colocar na vitrine novos “produtos” que poderão gerar, dentro de apenas um mês, negócios milionários para jogadores, empresários, clubes, via negócios que permitam que o “show must go on” (o espetáculo deve continuar) mundo afora.

Como “toda unanimidade é burra”, frase cunhada pelo genial e saudoso escritor Nelson Rodrigues, este artigo poderá ser contestado apesar de expressar uma realidade ouvida de não poucos.    

Mas a verdade é que, dentro de trinta dias, muitos dos que já tem suas contas bancárias abarrotadas poderão acrescentar mais uma Ferrari em suas garages e outros até mudar o penteado para celebrar o fim da festa.

Enquanto por aqui…