PONDERANDO

* * * Reflexão em 120 segundos * * *

Ao Capitão da Reserva do Exército Jair Messias Bolsonaro

Caro Capitão Bolsonaro:

Permito-me tratá-lo desta forma, neste momento, eis que a fase de transição desde sua cadeira na Câmara dos Deputados recentemente até sua investidura no maior cargo do país ainda não está terminada. Com isenção de propósitos, acompanhei sua campanha eleitoral à Presidência da República – e posterior eleição com mais de 57 milhões de votos – e, agora, sua conturbada tentativa de fazer navegar este “Titanic” com 209 milhões de passageiros e tripulantes.  

Parece ser que sua intimidade de 27 anos com a vida parlamentar – quando foi eleito deputado federal por sete vezes consecutivas – foi insuficiente para oferecer-lhe uma visão ampla de como funcionam as coisas fora das casas legislativas. Ou seja, no andar de cima, onde o líder do Poder Executivo é o Presidente da República, que tem o papel de chefe de Estado e de governo. E aí, parece-me, ao trocar o terno de legislador por aquele que abraçou a faixa presidencial em 1 de janeiro deste ano, sua atitude ainda não mudou.

Apesar de ter se cercado de alguns ministros com formação acadêmica e técnica respeitáveis, alguns ainda estão por justificar suas nomeações. Manifestações verbais fora de hora e contexto, de muitos deles, comprometem a postura do governo entrando em conflito com anseios da sociedade brasileira. E como deve saber, descarregando farta munição à imprensa tendenciosa e à oposição.

Os mais atentos aos acontecimentos acompanharam, com apreensão, a interferência de seus filhos em assuntos fora de sua competência. Manifestações inoportunas de sua parte – que vem exigindo constantes explicações de alguns ministros visando corrigir a “má interpretação de suas palavras” – vem colaborando, gratuitamente, para o desgaste da imagem de não agir como presidente da República.

Capitão: sua plataforma ao tentar se eleger presidente cativou 57 milhões de brasileiros que acreditaram na sua batuta para transformar este país em uma nação respeitada dentro e fora de suas fronteiras. Resgatar o espírito de cidadania, amor à pátria e à bandeira, criar obstáculos para a corrupção desenfreada, combater privilégios em setores conhecidos de nossa sociedade, tornar transparente as entranhas do governo, tirar o país do atoleiro em que foi jogado por políticas econômicas desastrosas.

Sua credibilidade, hoje, é inversamente proporcional àquela da campanha eleitoral. O sinal amarelo está piscando, pedindo atenção, com o “guarda atento na esquina”. Pondere sobre a necessidade de cercar-se de conselheiros de fora do governo: desde os de construção de imagem e postura até de experientes homens íntegros que passaram pela vida pública e possam colaborar com seu tirocínio em assuntos de Estado, capitão, de Estado! As maiores potências mundiais sempre, ao longo da história, contaram com esses homens (e, até mesmo com mulheres) em suas trajetórias. Não há desdouro, como não há lugar para familiares e amigos de longa data se imiscuírem em, repito, assuntos de Estado.

Seu cacife de credibilidade como homem honesto e íntegro é alto. Sua equipe está a merecer ajustes. Se entender necessários, faça-os sem constrangimento. Em qualquer tempo! O poder sobe à cabeça das pessoas que, não raro, se superestimam e extrapolam limites. A matéria prima que dispõe é de qualidade. Coloque o terno de 1 de janeiro, faça uma autoanálise, e seu governo poderá ser histórico. A humildade de reconhecer erros e a mea-culpa são atributos de homens de estatura! O Brasil merece!

Boa sorte, Presidente Jair Bolsonaro!  

1 Comment

  1. Ahhhhh como eu desejo que o Sr. Presidente leia esse seu texto! IMPECÁVEL!
    Parabéns mais uma vez querido!!!!!!!!

Comments are closed.

© 2019 PONDERANDO

Theme by Anders NorenUp ↑