Mergulhado em confinamento e isolamento social, mas acompanhando a contragosto conflitos de interpretação e interesses sombrios sobre os (des)caminhos da covid-19, aproveito para fazer uma aposta com você. Vale uma garrafa de água mineral, sem gás, que desconhece a notícia que segue.

Isadora Stefanhak Costa Arantes, de 17 anos, aluna do 3º ano do Colégio Cenecista Santa Bárbara, em Arroio dos Ratos (RS), foi premiada com a participação em um curso de imersão no universo da astronomia, nos Estados Unidos, que inclui até treinamento para astronautas. E mais: incluída no processo seletivo do programa desenvolvido pela Advanced Space Academy [Academia Espacial Avançada] destinado a jovens de até 18 anos, Isadora apresentou um projeto, bem sucedido, de combustível para mini foguetes em garrafas pet.” Touché!

Como é sabido e notório, notícias que não causam polêmica ou criam clima de conflitos não saciam a fome de uma imprensa que precisa vender para se sustentar na guerra pela audiência, leia-se anúncios e patrocínios.

Com tanta miséria exposta pelas mídias internacional e local, nossos neurônios são retroalimentados, diuturnamente, por agentes poluidores classificados como notícias. Nesses tempos de incertezas quanto ao futuro que se desenha cada vez mais distante, carecemos de informações positivas e otimistas que nos ajudem a desobstruir o fígado (segundo maior órgão humano depois da pele). Sobrecarregado, acredite, sofre com agressões agudas por, inclusive, emoções causando graves danos à saúde física e emocional.

Segundo a Medicina Chinesa, a emoção que mais afeta e prejudica o fígado é o sentimento de irritação, agressividade, rancor ou frustração, motivados por aborrecimentos, injustiça ou rejeição sofridas.

Como somos seres emocionais por excelência, deixamo-nos levar pelo que os olhos veem, os ouvidos captam e o cérebro registra liberando a adrenalina que nos faz… aguentar o tranco. Por outro lado, notícias agradáveis e otimistas – como comprovado pela ciência – são capazes de impactar o funcionamento de nosso corpo de forma autônoma proporcionando o bem estar.

Assim, anonimamente, eu e meu fígado agradecemos à Isadora, lá de Arroio dos Ratos (RS), a oportunidade de – pelo exemplo – depositar mais fé em nossos jovens presentes nos recônditos deste imenso país aguardando pela oportunidade de serem revelados.

Permaneço no aguardo de mais notícias desse calibre divulgadas por quem quer que seja. O Brasil de nossos olhos e ouvidos agradece.

E eu, também, pela minha água mineral, sem gás. Estou cobrando!