PONDERANDO

* * * Reflexão em 120 segundos * * *

Categoria: Economia (Página 1 de 2)

O Brasil de cada um

O salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal é hoje de R$ 33.700. Acresça-se que entre benefícios vários – a que os doutos que vestem togas têm direito – está o auxílio-moradia de R$ 4.377; ou seja, mais de duas vezes o valor de minha aposentadoria depois de haver contribuído – pelo máximo – durante 35 anos. (Continua…)

Devo admitir que sempre tive uma certa “pinimba” (má vontade) com os bancos. Afinal, são instituições que lucram sempre – independentemente da situação econômica do país – não produzem absolutamente nada e operam no azul, chova ou faça sol. Com recessão ou sem recessão, com instabilidade política ou não, com a economia global em ascensão ou não. (Continua…)

Século XXI –Século Chinês

Poucos países no mundo possuem a capacidade de serem autossuficientes. O Brasil poderia ser um sério candidato ao feito, já que não lhe faltam requisitos essenciais como extensão territorial, clima favorável, abundância de água, solo variável, imensa costa propícia à navegação de Cabotagem (7.367 km), rios extensos passíveis de serem navegados. (Continua…)

Uma odisseia em curso

“ A competição entre seres humanos e robôs por empregos qualificados e bem remunerados já começou e deverá se acirrar no futuro. Como as máquinas serão mais produtivas em todas as profissões, a renda do trabalho deverá crescer muito lentamente e corre o risco até de encolher. (Continua…)

Seu futuro pode estar em jogo

“ O Banco Mundial coloca o país como uma das piores economias do mundo para se fazer negócios. E muito disso é fruto da burocracia.

No ranking, que lista 190 economias do mundo todo, o Brasil aparece em 123.ª. Três quesitos puxam a classificação do país para baixo, todos relacionados à burocracia: a dificuldade para começar um negócio, as permissões de zoneamento e o pagamento de impostos. (Continua…)

Por que não eles?

Escancarada a porta maior da Corrupção no país, haja vista as recentes delações premiadas dos donos do Grupo JBS, ficou claro que as águas estão mais turvas e profundas do que se imaginava.

Desconhecia-se, no entanto, a extensão dos tentáculos da Máfia governamental/empresarial que deixou de fora apenas os cidadãos de bem – aqueles que procuram ganhar a vida honestamente e vêm pagando caro pela voracidade do “sistema” ao melhor estilo de sua irmã siciliana: pagando caro por estarem sendo sufocados pela recessão e obrigados a arcar com impostos e juros bancários abusivos, instituídos por uma política tributária feudal, cujos recursos deveriam estar sendo alocados à Educação, Saúde e Segurança. (Continua…)

De um lado e de outro

vaca-pastandoNestes tempos de vacas magras, pelo menos do nosso lado da cerca, o pasto do vizinho permanece verdinho e viçoso. A área da propriedade é do mesmo dono, mas os ocupantes – uns mais privilegiados que outros – se alimentam mais e melhor.

Claro está que regras nem sempre valem para todos; por isso não há o que estranhar. Quem pode mais pode menos e os bancos, há séculos, deitam e rolam enquanto você tenta permanecer de pé e se equilibrando.

(Continua…)

O fiel da balança

O fiel da balança“ Descendente de imigrantes irlandeses católicos pobres, Joseph “Joe” Patrick Kennedy – patriarca do clã mais famoso dos Estados Unidos – venceu todas barreiras sociais da época ganhando dinheiro. Há inúmeras versões para seu enriquecimento. Consta que vendeu uísque durante a Lei Seca e foi agiota. Banqueiro em Wall Street e empresário da Broadway, em Nova York. Membro do Partido Democrata, ganhou do presidente Franklin Roosevelt a presidência da Comissão de Valores Mobiliários, SEC, órgão federal encarregado de vigiar o mercado financeiro. Quando perguntaram a Roosevelt por que nomeara um escroque para a SEC, o presidente respondeu: “É preciso um escroque para reconhecer outros escroques. ” (Izalco Sardenberg – Magia dos Kennedy – 25-10-2010). (Continua…)

Até onde e quando?

Até onde quandoVimos acompanhando pela imprensa atentados terroristas que vem ocorrendo mundo afora. Deixando de ser esporádicos, muitos são atribuídos a causas religiosas – como no caso dos praticados pelo chamado Exército Islâmico ou ISIS ou, ainda, Daesh no Oriente. Seus braços na África têm levado morte e destruição a populações indefesas. O medo vem se espalhando por diversos continentes e países onde se torna inseguro frequentar lugares públicos, viajar de metro, trem e avião. Verdadeira paranoia – justificadamente – começa a tomar conta das pessoas de todas as línguas, as quais, sem qualquer alternativa, ficam expostas a um agressor invisível, muitos considerados como “lobos solitários”. (Continua…)

Horizontes a desanuviar

Abro minha página principal de internet e deparo, de cara, com as notícias – antes de qHorizontes a desanuviaruaisquer outras – sobre politica envolvendo Dilma Rousseff, Collor, Eduardo Cunha e coadjuvantes, apesar do recesso parlamentar (concedido àqueles que “trabalham” de terça a quinta no Congresso Nacional, têm férias remuneradas de 60 dias e recebem 15 salários por ano). Para coroar, a primeira imagem à direita mostra um grande grupo de crianças uniformizadas, seguida do texto “Estado Islâmico instrui crianças a treinar decapitações em bonecas”. Onde vamos parar? (Continua…)

« Publicações antigas

© 2018 PONDERANDO

Desenvolvido por CS ProjetosRolar para cima ↑