PONDERANDO

* * * Reflexão em 120 segundos * * *

Categoria: Esporte

Por falar em Copa (final)

A Croácia é vice-campeã da Copa do Mundo FIFA. Feito inédito para um país independente há apenas 27 anos. Com cerca de 4 milhões de habitantes, esse pequeno Estado na fronteira dos Bálcãs receberá pela “façanha” US$ 29,5 milhões (R$ 113,5 milhões). A seleção francesa – campeã – por seu turno, US$ 39,5 milhões (R$ 152,1 milhões). Números que impressionam. (Continua…)

Por falar em Copa (4)

A Copa do Mundo FIFA 2018 chega ao fim neste fim de semana, de forma melancólica para brasileiros e mais 31 seleções que correram, literalmente, atrás da Taça de Ouro. Todas, como sempre, com lágrimas penduradas.

Mas para os que gostam de reviver reminiscências, seleciono algumas passagens para matar a saudade – em algum momento mais a frente – com as lágrimas já enxutas. (Continua…)

Por falar em Copa (3)

Houve um tempo em que os campeonatos estaduais de futebol tinham jogos apenas aos domingos e sempre entrando em campo com as três “categorias” – juvenis, aspirantes e profissionais (eufemismo para titulares). Juvenis às 09:15h, aspirantes às 13:15h e time principal às 15:15h.  Pelo menos era assim lá no Rio de Janeiro na época em que se ia ao “campo” para assistir aos jogos, sentava-se no cimento da arquibancada (se não fosse sócio do clube) tomando aquele sol. (Continua…)

Por falar em Copa (2)

Para quem não sabe, em 28 de maio de 1928 o Comitê Executivo do Congresso da FIFA decidiu oferecer uma taça como recompensa pela conquista da primeira Copa do Mundo de Futebol.

O então presidente da Federação, Jules Rimet, ordenou que fosse feito um troféu, em ouro. Por sugestão de seu idealizador, a posse definitiva do troféu ficaria com o país que conseguisse vencer um total de três edições da Copa.

Um novo congresso da entidade, realizado em Luxemburgo, a 1 de julho de 1946, decidiu que o nome da taça homenagearia seu idealizador, passando desde então a chamar-se Taça Jules Rimet. (Continua…)

É disto que estamos tratando

Enquanto a bola rola, que tal abrir uma cervejinha para comemorar o gol de placa – sem narração – marcado pelo Senador José Reguffe (Distrito Federal)?

É possível que nunca tenha ouvido falar dele, não importa. Ou até importa, sim, eis que que se trata de um político brasileiro, íntegro, honesto de princípios e valores, merecedor de uma Copa sem prêmio de milhões de reais.    (Continua…)

Este mundo é uma Bola

Jogo de futebol é apaixonante para milhões de pessoas ao redor do mundo. Nas últimas décadas, foi transformado em negócio bilionário para clubes e jogadores de talento, principalmente na Europa. Torneios e campeonatos os mais diversos, estrutura de marketing também bilionária, levam os jogos até os píncaros da audiência pela televisão. (Continua…)

Lionel Messi

Gosto de assistir a jogos de futebol, eventualmente, já que o esporte se transformou em um comércio sofisticado, movimentando milhões de euros e reais para jogadores, empresários, clubes, técnicos e apaniguados.

Por aqui, clubes com dívidas até para o INSS, pagam a boleiros e técnicos importâncias mensais que superam os R$ 500.000,00. Na Europa, que passa por crise econômica sem precedentes, clubes são comprados por sheiks e bilionários russos.

Assim, o futebol de outros tempos faz parte da memória: praticado por jogadores que tinham amor à camisa, ao clube, sem as mordomias de hoje, sem empresários para dirigir suas carreiras, agentes de imprensa e que tais. O futebol-negócio passou a fazer parte do “show business” internacional.

Negócio envolvendo a comercialização de marcas e produtos de toda ordem, os jogos, a exemplo de telenovelas, arregimentam milhões de pessoas mirando em seus consumidores em potencial.

Como fã da empresa Barcelona e de seu protagonista maior, Lionel, rendo-me à magia de um clube que é muito maior que sua fantástica equipe de futebol. Não vou me estender aqui sobre o que o Barça é ou representa. Sua filosofia de trabalho, objetivos, história enfim, podem ser conhecidos no seu site na internet (http://www.fcbarcelona.com/). Vale a pena acessá-lo.

Quero dedicar algumas linhas a uma extraordinária pessoa, homem que desde cedo se tornou jogador de futebol ajudado e orientado em sua vida, desde os 13 anos de idade, por uma instituição aplaudida, reconhecida mundialmente; não apenas pelo futebol praticado por sua equipe profissional, mas por sua filosofia  empresarial e trabalho realizado com seriedade e profissionalismo.

Lionel, formado como homem e jogador pelo clube que o abrigou e deu rumo à sua vida – inicialmente periclitante em termos de saúde – é um exemplo a ser seguido por profissionais em suas carreiras. Seu comportamento em campo e fora dele é mais que exemplar destacando-se tanto quanto seu genial futebol.

Modesto, humilde, na forma de se apresentar com a bola nos pés  levando pancada sem exibicionismos ou na vida do dia-a-dia, Messi se mostra mais como Lionel, o melhor jogador do planeta por 3 anos consecutivos, com apenas 24 anos.

Lamenta-se que o exemplo não seja seguido por deslumbradas estrelas, enricadas da noite para o dia, que se deixam levar pelo canto da sereia.

Lionel Messi, homem baixo, mas de estatura e caráter, multimilionário, modelo para jovens de qualquer idade ou profissão: aceite minhas homenagens e agradecimentos por nos brindar com seu futebol-arte e postura exemplar de vida.

Nem mar encapelado pode ofuscar sua genialidade e comedimento. Parabéns, Lio!

© 2018 PONDERANDO

Desenvolvido por CS ProjetosRolar para cima ↑