PONDERANDO

* * * Reflexão em 120 segundos * * *

Categoria: Política (Página 1 de 8)

O Brasil de cada um

O salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal é hoje de R$ 33.700. Acresça-se que entre benefícios vários – a que os doutos que vestem togas têm direito – está o auxílio-moradia de R$ 4.377; ou seja, mais de duas vezes o valor de minha aposentadoria depois de haver contribuído – pelo máximo – durante 35 anos. (Continua…)

Missão ou omissão?

As definições e composições políticas já deram a largada para colocar nas urnas nomes de candidatos e candidatas aos cargos majoritários no país. Com a reforma política arquitetada e aprovada pelo Congresso Nacional, estima-se que metade deles deverá ser reeleita. Afinal, o Legislativo é o fiel da balança para definir projetos do governo federal e reconhece seu “poder de fogo”. (Continua…)

Somos Todos Fiadores

O recesso do Judiciário terminou, eleições majoritárias à vista, momento para ponderarmos sobre alguns aspectos – muitos desconhecidos do cidadão comum – relativos ao Superior Tribunal Federal – STF. A Corte, sempre envolvida em querelas várias, passará a contar com um novo presidente a partir de setembro. Seu nome: José Antônio Dias Toffoli! E expectativa em curso. (Continua…)

O guizo no gato

A recente greve dos caminhoneiros veio descortinar o ambiente sombrio que há muito pairava sobre os céus de Brasília. E, naturalmente, expôs a chaga do populismo que se pretende reinstalar no país, quando tapar o sol com a peneira é mais fácil (e conveniente) que enfrentar a realidade que nos impinge a aceitar Contos da Carochinha e verdades como a do nariz de Pinóquio.

Os caminhoneiros armaram o bote para cima de um governo prestes a receber a extrema-unção que abriu as burras do Tesouro Nacional com se dele fosse proprietário. (Continua…)

Ainda há muito o que temer

A negociação para pôr fim à recente greve dos caminhoneiros foi uma clara demonstração do primarismo com que o governo federal trata os assuntos de relevância nacional. Habituado a se recompor politicamente na base do toma lá de cá, vendendo cargos de direção em empresas estatais a políticos protegidos pelo manto do foro privilegiado, sua incompetência para negociar com profissionais – escaldados e astutos – beirou a galhofa. (Continua…)

Chovendo no molhado?

Recentemente, um amigo comentou que lia meus artigos mas fez uma observação: chove no molhado. Ato contínuo, “corrigiu-se” afirmando que muita gente desconhecia os diversos assuntos abordados e que valia a pena ler a coluna semanal no jornal para se informar.

Fiquei remoendo aquela observação e me perguntando se a observação não procederia. Afinal, os leitores são soberanos, não possuem a mesma cultura e formação nem comungam da mesma visão sobre os vieses da vida. Nenhuma surpresa, portanto. (Continua…)

Hora de virar o jogo

Semana passada, em minha coluna no jornal e site na internet, escrevi com veemência – “Pense fora da caixa” – sobre o momento que o país vem atravessando. Desde o início da Operação Lava Jato – em realidade desde o Mensalão, nos idos de 2005 e 2006 – a Justiça brasileira vem se constituindo em um baluarte contra a corrupção entranhada nos intestinos da política e de grandes empresas.     (Continua…)

Pense fora da caixa

Em ano de eleição, a devoção dos parlamentares está voltada para a sobrevivência de seus mandatos. A manipulação na votação de projetos importantes para o país tem sido uma realidade e uma bofetada na cara do eleitor. Descaradamente! (Continua…)

O lado obscuro de todos

Em 17 de março a Operação Lava-Jato aniversaria. Quatro anos de trabalho intenso e competente por parte da Polícia Federal – apesar da morosidade da Justiça – resultaram em um novo perfil dessas instituições.

O início da nova História do Brasil começou a ser escrito em junho de 2005, com as revelações de um escândalo escancarado de corrupção na política de compra e venda de votos no parlamento visando garantir a maioria do governo em todas as suas propostas. Uma democracia corrompida ou um capitalismo autoritário? (Continua…)

O modelo se exauriu

“Este é um blog que acredita na magia da palavra escrita como elo de aproximação entre pessoas que comungam de um mesmo pensamento e fonte de oportunidades para reflexão de outras tantas que assim não pensam”.

Após alguns anos como colunista do JC Holambra e ter colocado o Ponderando na internet –- cunhei a frase acima para definir o espírito que me levou a escrever artigos e crônicas analisando e refletindo nosso viver ao longo dos tempos.

Não tive, nem tenho, como avaliar o resultado de meu propósito. Apenas a consciência de que não poderia me furtar à responsabilidade de contribuir para que possamos, todos, viver em harmonia e coexistir pacificamente apesar das divergências.  

Vivemos em um mundo globalmente conturbado por razões políticas, econômicas, éticas e sociais. Fronteiras e barreiras que salvaguardavam e respeitavam culturas e costumes vêm sendo demolidas. A desconfiança paira em todos os estratos das sociedades, seja por conflitos étnicos ou insegurança pessoal e familiar, diante da violência incontida por aqui e mundo afora.

A sobrevivência do planeta depende do bom senso de governos que dominam a tecnologia da energia nuclear bélica. Um resvalo em momento crítico e mergulharemos em hecatombe jamais vista.

O ser humano parece desconhecer a razão de sua existência. Inconsciente, persegue o poder e a riqueza como se sua saúde mental e física, bem como sua permanência por aqui fosse sem data para terminar e, ainda, lhe assegurasse qualidade de vida nesta que é efêmera por natureza.

Em detrimento da Saúde, Educação e Segurança, governos priorizam seus laços com a Economia –  maestrina das soluções para o bem-estar de seus povos. Parece não ser assim. A África, com países ricos em recursos minerais, padece com populações paupérrimas e governos autoritários ricos com contas na Suíça. Os Estados Unidos – maior potência mundial – escondem que apenas vinte por cento da população desfrutam de curso superior e tem bons empregos enquanto oitenta por cento vivem o setor de baixa renda. No Brasil as seis pessoas mais ricas concentram, juntas, a mesma riqueza que os 100 milhões mais pobres do país, ou seja, a metade da população brasileira.

A ONU prevê que dentro de 30 anos os terráqueos serão algo como 9 bilhões. O espaço físico a ser ocupado permanecerá o mesmo e os valores a serem respeitados para uma convivência pacífica, possivelmente distintos dos de hoje.

A miscigenação racial no mundo é crescente. Uma realidade sem volta com a Europa dando as cartas e o Oriente Médio se fazendo cada vez mais presente no Ocidente.

O modelo atual se exauriu. Vale refletir.

« Publicações antigas

© 2018 PONDERANDO

Desenvolvido por CS ProjetosRolar para cima ↑