PONDERANDO

* * * Reflexão em 120 segundos * * *

Categoria: Saúde (Página 1 de 3)

Aos desembargadores com carinho

Sem entrar nas filigranas da polêmica – absurda e inconsequente por natureza – vejo-me obrigado a aceitar e concordar com adjetivos vários que são proferidos por cidadãos de países civilizados ao se referirem ao nosso país – que é “bom de bola” – quando se trata de educação, civilidade e respeito pelo próximo.  (Continua…)

Bon Voyage (Boa viagem)

Muito se tem escrito, discutido, analisado sobre o tema envelhecimento. É assunto presente na medicina, na filosofia, na religião. Desperta interesse nos especialistas, estudiosos e leigos que procuram explicações e motivações para entender e retardar o inexorável processo – irreversível – de que no universo tudo tem princípio, meio e fim. (Continua…)

Envelhescência

A palavra envelhecer – com seus variados significados – entra no vocabulário das pessoas à medida em que transitam pela vida. Inicialmente na adolescência e durante a “primeira idade”, a expressão é usada como referência para definir… os outros. Paulatinamente, com o tempo avançando, a si próprio. Se bem que, nesse último caso, sua admissão se torna menos atraente e difícil de ser digerida. (Continua…)

Médico da Família

“A Medicina é definida como um conjunto de conhecimentos relativos à manutenção da saúde bem como à prevenção, tratamento e cura das doenças, traumatismos e afecções, considerada por alguns uma técnica e, por outros, uma ciência”. (Grande dicionário Houaiss)

Ao longo das últimas décadas, sua evolução em termos de descobertas de novas enfermidades e tratamentos, tem sido notável. O mesmo se pode dizer quanto ao desenvolvimento tecnológico. Já a simbiose entre médico e paciente vem sendo prejudicada pela explícita e crescente comercialização em área tão sensível ao bem-estar da humanidade.

Talvez não sejam muitos os que se recordam da figura do “médico da família”, aquele que além de conhecer a metodologia curativa conhecia também, e bem, seus pacientes como pessoas. Era uma época em que se dispunha de um número menor de exames – inclusive invasivos – para diagnosticar doenças. As anamneses, porém, avaliavam, inclusive, a qualidade e meio de vida dos pacientes e se integravam às consultas. Consultas que tinham hora para começar, mas não para terminar, sem tempo de duração pré-determinado! Tempos em que o médico da família sempre estava disponível ao alcance do telefone.

Mas não é de hoje que somos, todos, consulentes com direito a merecer do “esculápio” sua atenção apenas por dez, quinze ou vinte minutos se tanto. Existem exceções? Certamente. Principalmente se o paciente for “particular” e não conveniado… Imagina-se, no entanto, que ao escolher a Medicina como atividade dedicada – mais que como profissão – o futuro médico tenha se sentido profundamente identificado com o ser humano e comprometido com sua saúde e bem-estar por toda a vida. E não com a rentabilidade da profissão!  

Devo ressaltar que generalizo, mas com lupa à mão.

Hipócrates – considerado o pai da Medicina –  deve ficar muito desconfortável em seu repouso eterno constatando como estão se comportando seus seguidores séculos a frente. Ele, que buscava na natureza as causas e solução para os diversos males, estabeleceu que as causas da maioria das doenças se deviam a fatores climáticos, alimentares, hábitos cotidianos e meio onde as pessoas viviam. Isto, há 2.500 anos! Sabedoria antológica.

Hoje, a medicina “automatizada”, com exames vários fornecendo os elementos para definição de diagnósticos, mas com pouco ou nenhum tempo dedicado à interação médico-paciente, deixa na saudade o quadro concebido pelo Mestre.

Saudade do médico da família!

A estrada é toda sua

Os que ingressam no mercado de trabalho munidos de diplomas acadêmicos ou técnicos têm como objetivo primeiro o emprego em uma empresa. Profissionais liberais optam, em menor número, por uma carreira solo. Para estes, é condição sine-qua-non a formação de excepcional qualidade e vocação inata, binômio fundamental para maximizar o sucesso na vida profissional. (Continua…)

O Preço da Saúde

Quase todas as gerações que habitam o planeta hoje estão vivendo mais e melhor que as anteriores. Os responsáveis por esta realidade são o avanço tecnológico e as descobertas constantes, frutos de pesquisas que novos conhecimentos permitem avançar na cura de doenças e tratamentos. Nenhuma novidade. A questão é: a que custo? Como pagar a conta? (Continua…)

Retrato sem retoque

Pesquisa na Internet revela que são 187.250 os médicos registrados no CREMESP (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo). No país são 430 mil profissionais.

Segundo a EBC – Agencia Brasil, “ a região com o maior número de médicos por habitante é Ribeirão Preto (3,32 médicos por mil habitantes), seguido pela região da Grande São Paulo (média de 3,05 médicos por mil habitantes). Já as regiões com as menores médias são: Registro, no Vale do Ribeira (0,86 médicos por mil habitantes) e São João da Boa Vista (1,37 médicos por mil habitantes). (Continua…)

Nossa costa é rica, mas…

O Relatório Mundial da Felicidade 2017, apresentado em Nova York no Dia Internacional da Felicidade (20 de março e celebrado desde 2012) elege – entre os países latino-americanos – a Costa Rica como a melhor colocada, ficando o Brasil com o 22° lugar no ranking.

O levantamento leva em consideração o PIB per capita, a expectativa média de vida, a percepção de apoio recebido no próprio ambiente social e de confiança no governo e nas empresas em relação à corrupção. Fatores negativos, como preocupações, tristeza e raiva também desempenham um papel no estudo. (Continua…)

Não são só as construtoras

 O dicionário nos ensina que corrupção é o ato de subornar pessoas com oferecimento de dinheiro ou benesses. O verbete tem tido presença garantida no noticiário, diariamente, por conta das falcatruas envolvendo políticos e empresários, mas ignorando pessoas e instituições que – em tese – estariam acima de qualquer suspeita.

Recente reportagem publicada na Folha de S. Paulo aborda o assunto, praticado na área de Saúde. Confesso que, ingenuamente, imaginei-me situado dentro de um contexto que, acreditava, estar blindado; se não pelo seu perfil ético, pela imagem que o cidadão comum tem dos homens de jaleco branco. Como o mundo não é habitado apenas por homens e mulheres de bem, exclua-se, por óbvio, desse universo “pecaminoso”, aqueles que vem honrando – em seu juramento de Hipócrates – por ocasião de sua formatura, os princípios que norteiam sua vida profissional. Os meritórios! (Continua…)

Lembre-se de sua memória

Segundo a psicóloga Gabriela Cabral da Silva Dantas, “a memória é o armazenamento de informações e fatos obtidos através de experiências ouvidas ou vividas”.

Viver deixa registros na memória de todos nós. Arquivados, para eventualmente dele fazermos uso visando corrigir rumos diante de previstos e imprevistos mais à frente. Ou para recordarmos momentos agradáveis pelos quais passamos. Ou, ainda, obrigados a conviver com aqueles que gostaríamos de “deletar”. A memória, incomplacente, nos prega peças vez por outra, nos trai sem cerimônia, se “esquece de anotar”. Há que cuidar-se dela! (Continua…)

« Publicações antigas

© 2018 PONDERANDO

Desenvolvido por CS ProjetosRolar para cima ↑