Depois de quase dois anos de ininterrupta convivência semanal com você, eis que esta coluna atinge, hoje, a marca de 100 publicações.

Um marco na história do Ponderando!

São vários os momentos marcantes ao longo de nossa existência: nascimentos, aniversários, formaturas, crescimento profissional, metas atingidas, fracassos, aposentadorias, perdas. Momentos que nos colocam diante do novo, virada de página, expectativas diante do desconhecido.

Este renovar constante é, a meu ver, a mola propulsora que nos oferece a oportunidade de seguir em frente, sem apego a uma rotina que pode vir a ser nociva pela monotonia. Talvez seja por isso que considero a escrita uma das mais agradáveis formas de expressar sentimentos, pública ou privadamente. Ler o que se pensa torna as idéias mais claras e objetivas. Colocá-las no papel, ou na tela de seu PC, pode fazer toda a diferença ao procurar respostas para anseios e até mesmo divagações.

Esta coluna foi criada não com o objetivo de procurar ou dar respostas, mas sim gerar no leitor ou leitora, o interesse pela reflexão de temas presentes em nosso cotidiano próximo ou distante. Reflexão que tenta induzir ao questionamento, seja ele  próprio ou ao autor.

Vivemos momentos conturbados na economia, política internacional, queda de braço com a natureza, desastres ambientais. Momentos contrabalançados pela atenção às novelas de televisão, BBB´s, casamento real com absoluto destaque para o vestido da noiva…, esportes, “happy hours” e afins.

E para alegria de quem escreve, são eles, os momentos, que fornecem o combustível propulsor para seu trabalho. Combustível inesgotável que, sem cessar um instante, impacta os rumos da vida de pessoas e nações, como em um passe de mágica. O trabalho de quem tecla é solitário, sua percepção é transposta para as palavras que você lê, pondera, e segue em frente na maioria das vezes.

Minha expectativa e intento, como autor, tem sido a de estar contribuindo sempre para reflexões que, de uma ou outra forma, influenciam nossas vidas. A informação disponibilizada a partir da pluralidade de pontos de vista sobre um mesmo tema, exercida democraticamente, oferece aos mais atentos e interessados a oportunidade de avaliar as mais diversas situações sob sua ótica pessoal.

E aí reside, quero crer, a beleza de nosso inter-relacionamento silencioso que permite o estreito contato através do pensamento singular, impresso pelas tintas.

Só me resta agradecer a você a companhia nesta coluna.

Cem vezes, obrigado.