Recesso parlamentar é o período em que o Congresso interrompe suas atividades funcionais e seus membros entram em férias. Privilegiados, por mera coincidência… as ditas são programadas para acontecer durante as férias escolares, ou seja, a paralisação – segundo prevê a Constituição Federal – ocorre de 22 de dezembro a 2 de fevereiro e de 18 de julho a 1º de agosto – totalizando quase dois meses de férias. Como os demais mortais, os ditos recebem, além do salário normal, o terço de férias referente a um mês de salário. Acredita-se que as incontáveis mordomias não sofrem qualquer majoração, podendo ser usufruídas durante o constitucional descanso.

Faça as contas e constatará que nossos digníssimos deputados e senadores usufruem 57 dias de férias por ano e no resto dele, semanalmente, começam a “trabalhar” às terças feiras e voltam para casa às quintas. Ou seja, se sua semana tem cinco dias de labuta – ou até mesmo seis – a “deles” tem três. Considerando-se quatro semanas por mês, você trabalha 20 dias e “eles” 12 no período; isto é, 67% a mais. No ano, descontadas as férias deles e as suas, para ganhar seu rico dinheirinho você trabalha 210 dias enquanto eles – se não estivermos  em época de eleições, é bom lembrar – a imoral marca de 87 dias. Se pretender usar a matemática para continuar calculando sugiro que não o faça. Se a idéia for conferir seus rendimentos no fim do ano com os deles, não se atreva. Você vai espumar!

E aonde isto nos leva?

A refletir séria e isentamente sobre o que você e eu significamos para nosso país como cidadãos. E mais, qual a contribuição dada por nós, e por “eles”, para desfrutarmos de uma vida em sociedade com mais acesso à saúde, transportes, segurança, educação, pilares de promessas eleitorais feitas por esses seres viventes blindados por imunidades parlamentares.

Aliás, você sabe o que significa imunidade parlamentar?

Durante seus mandatos, deputados e senadores não podem ser presos (salvo em casos de flagrante de crimes inafiançáveis) e só podem ser processados pelo Supremo Tribunal Federal. São ainda invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos.

Existem meandros técnicos na legislação vigente que dificultam aos leigos como nós a exata compreensão de como a coisa funciona. Mas, em linhas gerais, saiba que você não dispõe de uma (imunidade) e que, se não andar na linha, poderá enfrentar um processo que “eles” dificilmente encarariam. Assim, a única imunidade que você dispõe é a da defesa de seu organismo pela formação de anticorpos protegendo sua saúde.

Faça dela bom uso.