Somos um povo pouco politizado, mas que no momento acompanha com inusitado interesse o julgamento do Mensalão pelo STF (Superior Tribunal Federal). Está em curso a redação de mais uma página da História Política do Brasil, página esta que certamente haverá de mudar o comportamento do político brasileiro. Para aqueles que sonham com um lugar no podium do poder, fazendo uso de recursos mafiosos, o fim da linha chegou.

Assistimos, sem surpresa maior, à bandalheira que se instalou em nosso meio político – a partir de Brasília – com a comprovada compra e venda de votos visando à busca de sustentação política do governo Lula em sua primeira edição.

Não é segredo para ninguém razoavelmente esclarecido que a deterioração de nosso sistema político vai além da instância federal alastrando-se pela estadual e, até mesmo, municipal, em todos os recantos deste Brasil. Compra de votos em vésperas de eleições, majoritárias ou não, é uma prática antiga do voto de cabresto remanescente dos tempos coronelistas. Mas que permanece, ainda, aqui e ali. Agora, diante de novos tempos, a prática está com os dias contados, lembrando que corrupção tanto passiva quanto ativa é crime. É crime em qualquer esfera eleitoral, seja ela federal, estadual ou municipal, haja vista a condenação pelo STF de parlamentares e assessores envolvidos naqueles delitos.

Comprar voto é crime! Vender o voto é crime!

Aos olhos da lei, trata-se de corrupção: ativa de um lado e passiva de outro. A lei é cega e estaremos assistindo, a partir de agora, corruptores e corrompidos serem julgados e condenados à prisão sem choro nem vela.

Torna-se indispensável, contudo, que a sociedade dê sua contribuição nessa batalha não se deixando corromper em eleições por alguns reais ou promessas vazias, ilusórias. Elegemos candidatos para o poder executivo afim de que cumpram – honestamente – seu papel de administrar o país, um estado ou um município. Elegemos candidatos para o legislativo na esperança – que não deve ser vã – de fiscalizar governos e trabalhar pelo bem estar de toda a população.

Não se permita vender seu voto nem sua consciência e se tornar um corrupto perante a lei e a sociedade em que vive. Não se permita comprar voto de quem quer seja em nome de alguma ideologia que não se sustenta por suas ideias e princípios.

Zele pela preservação de nossa democracia, tão arduamente conquistada. Ditaduras, regimes autoritários, estimulam a corrupção para se manterem no poder. Exerça seu direito de votar de acordo com a sua consciência.

Consciência que não pode ser comprada!