Acredito que esteja esgotando minha capacidade de escrever sobre temas que envolvem nossa densa – para dizer o mínimo – política. E por que já me manifestei tantas vezes? Problema de berço, creio eu. Inconformismo com a realidade política que vivemos desde sempre, agravada por escândalos crescentes que a tecnologia não mais permite esconder.

Lembrar Ruy Barbosa e sua célebre frase sobre políticos e politica brasileira – da qual compartilho – é atualizar o passado. Este homem, pequeno na estatura, mas grande como estadista, jurista, político, diplomata, escritor, filólogo, tradutor e orador brilhante nos faz falta nos dias de hoje. Viveu tudo na vida pública deste país tendo sido deputado, senador e ministro. Não bastasse, foi fundador da Academia Brasileira de Letras e presidente de 1908 a 1919. Ficou conhecido como “O Águia de Haia”, como devem se recordar aqueles que estudaram História do Brasil na escola.

Com as ervas daninhas de hoje grassando nos gabinetes de Brasília e alhures nossa história vai sendo construída não mais por águias, mas sim por urubus rapinando o que lhes é possível. A desfaçatez, a dissimulação no trato na coisa pública, a conivência com o despudor sem qualquer constrangimento entre os inimigos políticos de ontem, mas cúmplices nos assaltos à mão desarmada aos cofres da nação hoje, são um retrato fiel deste Brasil de bolsas que permitem encher os bolsos de eleitos em todos os níveis; que convive à luz do dia com obras compartilhadas por cobras venenosas travestidas de diplomados pelos tribunais eleitorais país afora; que se estarrece com os conchavos escancarados entre congresso nacional e poder executivo visando sua perpetuação no poder; que dá as costas à população carente ocultando mordomias a sete chaves nas caixas pretas da Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Difícil, muito difícil, assistir-se de mãos e pés atados a Corte Suprema ser julgada por políticos por ela condenados. E mais: aceitar-se que o Supremo Tribunal Federal tenha, como ministros, magistrados indicados por presidentes da República. Ministros que já julgaram em 1994, e até absolveram, o ex-presidente Fernando Collor de Mello acusado de corrupção passiva. Como tolerar-se que um julgamento emblemático como o do Mensalão, que envolve cardeais do partido governista, ainda esteja inconcluso decorridos oito anos?  “Alea jacta est”.

Por fim, curioso que poucos exemplares de urubus sobrevivam mais de cinco anos e que a águia é a ave que possui maior longevidade da espécie.

Então fica a pergunta: onde estão “os águias” deste país?