Ponderando está completando sete anos! 

Ano VIISemanalmente, sem interrupção, assuntos relativos à política, economia, saúde, cotidiano, vem sendo abordados sob a ótica de um observador atento às ocorrências no Brasil e no mundo. Violência, destruição, conflitos étnicos e religiosos, economias em debacle, corrupção, são temas preferenciais de todas as mídias e destaques que ofuscam o outro lado da vida.

Vivemos em um universo onde a informação nos governa quase autoritariamente. Não podemos evitar assistir ao noticiário da TV ou deixar de ler jornais e revistas, acessar a internet, sob pena de ficarmos alienados – pessoal e profissionalmente. Por outro lado, o número de artigos e análises sobre os temas mencionados são tão abundantes que levam leitores e telespectadores – sem esquecer os “celdependentes” – a não se aprofundar, realmente refletir, sobre matérias divulgadas visando à formação sólida de opinião.

E é justamente esse volume de informações e superficialidade no entendimento dos diversos assuntos que nos levam a fazer juízo equivocado sobre política, economia, saúde e, até mesmo, acontecimentos do cotidiano. Não vivemos em um mundo carente de informação; vivemos, sim, em um mundo saturado de informação, digerida às pressas.

Somos, ainda, obrigados a conviver com propagandas capciosas na TV, a exemplo daquelas sobre medicamentos onde, ao final da dita, ouve-se imediatamente a voz do narrador ao mesmo tempo em que a seguinte mensagem escrita é mostrada na tela – ambos em exatos dois segundos: “caso os sintomas não desapareçam procure um médico”. A máfia dos laboratórios, tendo como cúmplices empresas de publicidade e autoridades sanitárias, por omissão, colocam em risco a saúde de milhões de pessoas dado o poder de multiplicação da informação. Não surpreende que o Brasil seja campeão da automedicação e figure entre os dez maiores mercados de produtos farmacêuticos do mundo… Estaria o país doente?

Isto posto, e depois de todas estas considerações, lembro que Ponderando vai navegando pelo seu sétimo ano de existência. Acrescento que o número 7 – entre tantos posicionamentos – está presente nas cores do arco-íris; que para alguns cientistas a renovação celular do corpo humano ocorre de 7 em 7 anos; que 7 são os Chacras principais; que 7 são as Maravilhas do Mundo Antigo; que o 7 é, até mesmo, considerado “conta de mentiroso”.

E para desqualificar esta última consideração… este escriba pretende, doravante, oferecer aos seus leitores e leitoras, também, um olhar sobre o “outro lado da vida”. 

Caso queira se manifestar: ponderando@jcholambra.com.br

 

(Este texto está protegido pela Lei nº 9.610/98)

Author Bio

RAdeATHAYDE