13 de março - um dia memorávelSegundo a Policia Militar, mais de 3 milhões de cidadãos brasileiros se manifestaram em 26 estados e no Distrito Federal para demonstrar – em alto e bom som – seu desprezo pelo governo federal, sua gestão, sua política econômica, sua conivência com a corrupção instalada pelo partido que está à frente dos destinos desse país há mais de uma década. Clamando por mudanças, depositam suas esperanças nas mãos da Justiça que se faz presente com força crescente enfrentando poderosos, máquinas azeitadas, eminências pardas. 

Segundo os organizadores dos protestos, foram mais de 6 milhões os que foram para as ruas. Qualquer que seja o número, expressivo o que assistimos pela televisão: a maciça adesão ao chamado cívico deixando inequívoco o sentimento amargo que trava a maior parte da população brasileira. Destaque-se o comportamento civilizado das multidões – que ocuparam as manchetes de todas as mídias mundo afora – em clara demonstração de seu amadurecimento cívico-político.

Registre-se a expressiva presença de jovens e crianças acompanhando seus pais, participando de uma jornada patriótica como se em verdadeira aula de civismo estivessem, em ambiente seguro, respeitoso, familiar no sentido de cidadania. Com mensagem clara aos políticos que colocaram – sem nenhum pudor – este país de joelhos, a sociedade brasileira – cúmplice da Justiça desvendada – acredita, agora, que suas instituições – respeitando os princípios democráticos do direito – estão fazendo valer o artigo 5º da Constituição Federal: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.”  

A democracia brasileira, vivendo momentos críticos de alta intensidade na política, na economia, na organização social, está sendo colocada à prova diante de fatos congruentes jamais vistos na História do país. Com uma presidente e seu vice sendo investigados pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral – por desvios de conduta, com os presidentes das duas casas do Congresso Nacional sendo processados pela corte maior do país STF – Supremo Tribunal Federal – com parlamentares contaminados por interesses espúrios até as entranhas, resta-nos apenas confiar, cegamente, no último poder capaz de devolver ao país sua integridade ética, moral e cívica: o Poder Judiciário.

Confiemos!

(Este texto está protegido pela Lei nº 9.610/98)