O neném é saudávelO Brasil consciente vem sendo intoxicado pela política e corrupção desde há muito. Quanto mais avança a Operação Lava Jato, em Curitiba, e o empenho da PGR – Procuradoria Geral da República – em consubstanciar elementos que permitam ao Juiz Sérgio Moro desatar mais nós nessa fossa em que está mergulhado o país, mais surpresas surgem todos os dias. Honestidade e ética se tornam, paulatinamente, verbetes apagados de nossos dicionários.

Constata-se, para desencanto e tristeza da população honrada, que parece haver uma “associação” (ou rabo preso, no linguajar diário) – por uma ou mais razões – entre membros do Executivo, Legislativo e Judiciário. Dilma afastada, Temer interinamente na cadeira dela sem muita credibilidade, Cunha manobrando com seus cordéis – habilitados por dossiês que, julgam muitos, derrubaria a República –  Câmara de Deputados constituída por parlamentares de nível e comprometimento lamentáveis, presidido por um interino sem qualquer qualificação, Senado Federal sob a batuta de Renan Calheiros – alvo de nove inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal) – todos sem qualquer solução. Amostra grátis que comprova estarmos mergulhados em uma fralda de neném sem assepsia.  

O país encontra-se diante de verdadeira encruzilhada. Imaginava-se que a troca da tripulação no Palácio do Planalto iria fazer com que aeronave pudesse voar mais alto, fora da área de turbulência. Lamenta-se, mas não é o que temos assistido, lido e ouvido. A imprensa, mordendo os calcanhares de todas as medidas sendo tomadas pelo Executivo, não perdoa, dando destaque às medidas equivocadas do governo. Um rosário de notícias desalentadoras!

Mas a situação é essa, e é o que temos para hoje! A alternativa ao quadro que vivemos: nem pensar, nem lembrar… Assim, apesar de sombrio, o país conta com uma carta na manga de peso: a área econômica. A meu ver, é competente e formada por uma equipe que conhece os meandros de seus terrenos. Certamente a melhor e a mais respeitável dos últimos anos.

A “bala de prata”, para enfrentar com otimismo os momentos à frente, está no tambor da garrucha do ministro da Fazenda. É o dono da bala! O sucesso de sua empreitada é condição “sine-qua-non” para abrir o caminho que permita aos demais poderes – com credibilidade – se rejuvenescerem “limpando as áreas” sob seus domínios. O Judiciário, em todas as suas instâncias, lembre-se, tem como responsabilidade maior ser o protagonista dessa empreitada.

Fraldas borradas podem ser lavadas, esterilizadas ou mesmo descartadas.

Acredite, o neném é saudável!   

(Este texto está protegido pela Lei nº 9.610/98)